Runnersp
Login:
Senha:
  |  

INICIANDO EM MONTANHA

Se você chegou até aqui é porque tem, de fato, interesse em encarar uma nova maneira de correr e de se relacionar com este que podemos chamar de mais básico e primitivo dos esportes.

Vou além: correr em trilhas é mais antigo e mais “natural” que correr em superfícies pavimentadas. Posso citar dois motivos antes de concluir a questão. Primeiro, o planeta não é plano, não em sua maior parte. Elevações, por menores que sejam, fazem parte da realidade geográfica de grande parcela da população mundial. E em segundo lugar, os terrenos pavimentados são invenções recentes, coisa de um século. Antes disso corria-se também, e muito. Ou você acha que o famosão Pheidipides correu de Maratona até Atenas levando a notícia da vitória de seu exército na mesma estrada onde hoje é realizada a tradicional prova?

Porém este artigo não sobre o que é melhor ou o que é pior. Isso simplesmente não existe. Mas se você quer experimentar uma nova sensação acompanhe as dicas que acumulei ao longo dos meus cinco anos de corridas fora do asfalto.

Comece devagar
Se você já corre os 10K no asfalto sem muito perrengue, você tem total condições de experimentar uma corrida de montanha. Basta continuar se dedicando nos treinos e encarar umas subidas fortes, mesmo que seja em asfalto. Se você já cumpre essa distância com tranquilidade, pode começar a encarar percursos maiores. Recomendo sempre aos iniciantes experimentar as provas de distância padrão de 12K do Circuito Brasileiro, do Circuito Paranaense ou da Copa paulista de Corridas de Montanha. São provas na medida para quem quer ter um primeiro contato, ou mesmo, buscar novos horizontes de superação. No Brasil você encontra cor
ridas de montanha das mais diversas distâncias, não deixe de conferir o calendário que estamos sempre atualizando por aqui.
Tente correr na terra

É uma tarefa um pouco difícil para quem vive nos grandes centros. Mas se procurar bem, sempre vai existir um carreirinho paralelo a alguma estrada, um parque com piso natural. Aproveite todas as oportunidades possíveis para diversificar seu treino. Quando eu morava em Belo Horizonte, por exemplo, eu treinava durante a semana no Parque Municipal e lá saía da pista de corrida e enfrentava escadarias, saltava bancos, tocos, fazia zigue-zague entre árvores, enfim, me divertia correndo. Assim, treinava habilidades que são úteis em uma corrida de montanha, onde o ritmo é muito inconstante. Nos finais de semana, procure locais mais retirados, que se assemelhem ao terreno que irá enfrentar na prova. Correr na areia fofa também é bem válido!

Liberte-se do ego

O nome diz tudo. São corridas de MONTANHA. Montanhas implicam em muitas subidas e simplesmente não faz sentido você tentar vencê-la a qualquer preço. sendo assim, caminhe. Liberte-se dessa bobagem de que corredor
tem que correr em todas as subidas. Em provas e/ou treinos em montanha, (tentar) correr muitas vezes demanda maior gasto energético do que caminhar morro acima. Leva um certo tempo e é necessário uma certa experiência para identificar em que ponto você deve deixar de correr e passar a caminhar, mas quanto mais você treinar mais fácil será identificar o momento de apenas caminhar. Caminhar forte, claro.

Cuidado nas descidas
 Além dos joelhos, obviamente muito exigidos nas descidas, é preciso ter atenção onde você pisa. Um simples passo mal dado pode causar uma torção, que é tudo que você não quer no seu começo de carreira como montanheiro… Mais do que isso, descer forte exige muito dos quadríceps. Sendo assim, um trabalho de fortalecimento muscular é sempre indicado. Para se dar bem nas descidas, é preciso muito treino. Encarar trilhas técnicas com frequência o tornará um corredor que descerá as pirambeiras com segurança e velocidade. pode ter certeza que isso fará bastante diferença em sua colocação final em uma prova, se é que você se importa com isso.

Seja precavido

Correr em trilhas tem mais diferenças do que você pode imaginar quando comparamos a uma corrida em asfalto, urbana. Se você sai pra fazer um treino de uma ou dua shoras no amto, precisa se preocupar com o que comer e o que beber, certo? Mochilas de hidratação com pequenos bolsos são ideais para isso. Ao contrário do que muita gente imagina, correr com esses artefatos não é nada incômodo, basta um pequeno período de adaptação. Nas corridas de montanha você está o tempo todo mudando a postura, a passada, abaixando-se, saltando… Enfim, você praticamente esquece que leva um pequeno peso junto às costas e garante sua segurança, tendo líquidos e alimentos à disposição.

O tênis 

Ah, sempre ele… Muitas vezes um objeto de desejo, algo a ser exibido, nas corridas de montanha ele é bastante exigido. Pedras, lama, areia, raízes, rios, enfim, uma série de ele

mentos oferecidos pelo nosso planeta Terra e que fazem parte das corridas de montanha. Para sua primeira participação, corra com seu calçado usualmente usado na rua. E então você verá q
ue precisa de algo a mais. Calçad
os para corridas de montanha são bem diferentes dos desenhados para asfalto. Possuem solado com cravos, tecido de secagem muito rápida, pouca frescura no quesito tipo de pisada (afinal não há um passo igual ao outro em uma corrida no mato) e – salve! – muitas vezes um preço menor. Temos diversas opções no mercado nacional e tratarei disso no próximo artigo.


Enfim, passei aqui algumas dicas daquilo que aprendi muitas vezes na marra, outras vezes de conversas com os mais experientes e também muita coisa fruto de pesquisa na net, principalmente em sites estrangeiros. Com certeza há muito mais a ser dito e convido você, leitor, a contribuir também nos comentários, passando suas dicas. No decorrer do período, estarei sempre passando novos “toques” e macetes.

Montanhista e maratonista, George José Volpão nasceu em Curitiba – PR há 34 anos.

Reside atualmente em Campina Grande do Sul, a apenas 30 quilômetros da capital paranaenses, junto às encostas da Serra do Mar. Além do Paraná, já correu em trilhas por Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Argentina e Chile. Além da vida nas montanhas, George se dedica a escrever bastante também, tendo uma grande coleção de textos já publicados em sites e revistas. Você pode fazer contato com ele através do seu site: www.georgevolpao.net.

Seja onde for o importante é se divertir e sair da rotina. 

Fonte: ASSESSOCOR
Fotos: Marcos Viana Pinguim (4o. DESAFIO 28 PRAIAS)
Produção e Organização de Eventos Esportivos - Consulte-nos