Runnersp
Login:
Senha:
  |  

Simone Alves da Silva bate recorde de 18 anos no Troféu Brasil.

Simone Alves da Silva bate recorde de 18 anos no Troféu Brasil.


São Paulo - A fundista Simone Alves da Silva, do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, voltou a fazer história na pista de atletismo do Ibirapuera. Nesta quarta-feira, em seu primeiro Troféu Brasil de Atletismo, Simone venceu os 10.000 metros, em 31min16s56, derrubando um recorde sul-americano que durava havia 18 anos - a marca anterior, de 31min47s76, pertencia a Carmem de Oliveira desde 1993. Com o tempo, Simone também garantiu o índice A da IAAF para o Mundial de Daegu, de 27 de agosto a 4 de setembro. Simone chegou a abrir uma volta sobre a segunda colocada, Cruz Nonata, também do Clube BM&FBOVESPA, que ficou com a medalha de prata, com o tempo de 33min08s97. O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA mostrou grande superioridade nas provas de fundo e também levou o ouro no masculino com Marílson Gomes dos Santos (28min40s75).

"Estou muito feliz", repetia Simone, emocionada, após a quebra do recorde. "Acho que essa pista me dá sorte, porque foi aqui também que bati o recorde dos 5.000 m, em maio", prosseguiu. "O trabalho do Adauto (Adauto Domingues, também do Clube BM&FBOVESPA) está aparecendo, está dando certo. Fizemos dois meses de treinos específicos para o Troféu Brasil e no apronto do último domingo (31/7), ele me disse que eu tinha condições de bater esse recorde. Acreditei, confiei e consegui. Agora, vou para o Mundial com a esperança de correr bem."

Simone também tem índice para correr os 5.000 m e os 10.000 m nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e já sonha com medalha no México. "A minha marca não importa, quero subir ao pódio", disse a atleta, lembrando o início da carreira, no interior da Bahia. "Agora, sinto até vontade de dar risada. Antes, eu tinha de correr descalça... Hoje, tenho tênis, um ótimo técnico, o apoio do Clube BM&FBOVESPA e a possibilidade de sonhar com resultados cada vez melhores." A campeã aproveitou para agradecer também ao marido, Carlos Moreira dos Santos, fundista como ela, que deixou de competir para "me puxar nos treinos".

Feliz com a conquista de sua atleta, o técnico Adauto Domingues disse que há atletas que, desde o treino, mostram que é possível ter expectativas de marcas. "A Simone é uma desses atletas. O que ela faz nos treinos, repete na pista. E hoje, nos 10.000 m no Troféu Brasil, as coisas fluíram bem, ela estava muito motivada, deu tudo certo."

Multimedalhista

Marílson Gomes dos Santos também levou ouro nos 10 mil metros, com 28min40s75, em dobradinha com o companheiro do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA David Benedito de Macedo, com 28min41s72. Foi a 21ª medalha do principal fundista da atualidade na história do Troféu Brasil, 8ª de ouro nos 10.000 m.

"Tentei ajudar o David que está tentando vaga para o Pan-Americano. Ele chegou perto, mas vai ter outras oportunidades", disse Marílson que 'puxou' a prova para o colega. "Eu estava com a intenção de ajudar o David, meu companheiro do Clube BM&FBOVESPA", acrescentou. Marílson, que já tem sua presença garantida na seleção brasileira, disse que correu tranquilo, sem pressão. "Fiz o índice em maio (28min09s24) justamente para agora ter essa tranquilidade". A preocupação e o treinamento de Marílson está todo voltado para a Maratona de Chicago, que será no dia 9 de outubro. "Eu quero conseguir o índice para a Olimpíada de Londres, em 2012. É esse o meu objetivo para Chicago. Lá eu quero garantir minha vaga olímpica."

Marílson não vai correr os 5.000 m no domingo, no Troféu Brasil. "Vou seguir minha planilha de treinamento, dar sequência à minha preparação para Chicago."

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA integra o Instituto BM&FBOVESPA e tem parceria com a Nike, o Pão de Açúcar e a Prefeitura de São Caetano.

Mais informações: www.clubedeatletismo.com.br e
www.clubedeatletismo.org.br

Foto de Luiz Prado/LUZ


Produção e Organização de Eventos Esportivos - Consulte-nos