Runnersp
Login:
Senha:
  |  

Meia do Rio: mentalize e monte sua estratégia para fazer uma boa prova.

Meia do Rio: mentalize e monte sua estratégia para fazer uma boa prova.
.
A Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro está bem próxima. Em poucos dias, mais de vinte mil corredores estarão na largada na expectativa do sinal para começar a percorrer os 21 quilômetros que separam os bairros de São Conrado e Flamengo. O perído antes da prova é para muitos o momento de se planejar a estratégia para a competição, já que treinar, agora tão perto do dia, não só é ineficaz para melhorar o redimento como pode até trapalhar se feito com a intensidade errada.

- Os treinos devem ser leves. Não devem ser feitos treinos intervalados. O ideal é fazer rodagem tranquila para manter o peso corporal e o trânsito gastrointestinal. Algo como três treinos na semana de 10 a 12 quilômetros de 70 a 80% de intensidade – diz o treinador Manuel Lago.

Se treinar não é mais o foco principal do corredor, Manuel sugere que se conjugue outro verbo: mentalizar.


Mentalizar a prova, dividi-la em etapas e alcançar suas metas: dicas para uma boa prova (Foto: Divulgação)

- Começar a imaginar a prova, a se ver correndo, quando estiver bem ou quebrando. Considerar as duas situações que podem acontecer durante a prova, situações positivas e situações negativas – explica o treinador.

William Falcão é Psicólogo do Esporte. Formado em psicologia e com mestrado na área esportiva, William fala da importância da mentalização, reforçando que esta prática pode colaborar de forma efetiva para aumento do rendimento do corredor.

- Em termos simples, mentalização é quando se fecha os olhos e imagina-se fazendo algum movimento ou passando por alguma experiência. Há quatro maneiras que a mentalização pode aumentar o rendimento esportivo: a motivação específica (por exemplo, estabelecimento de metas), a motivação global (por exemplo, concentração e controle emocional), o cognitivo específico (por exemplo, o aprendizado de um movimento ou técnica), e o cognitivo global (por exemplo, aprender como interpretar e reagir à estratégia de um jogo) – explica William.

O trabalho de William é complexo e instigante e abrange tanto atletas amadores como os profissionais. Vamos, no entanto, focar especificamente no corredor amador. Segundo William, o uso da mentalização para motivação é o mais comum nesse caso e certamente mais útil sendo o seu resultado quase imediato. Com a corrida já tão próxima, William sugere que o indivíduo mentalize a prova divindo-a em etapas (no caso da Meia etapas de quatro ou cinco quilômetros) e estabeleça metas para cumpri-las.

- Isso ajudará também a controlar o ritmo da prova. Uma vez que estas metas forem estabelecidas o corredor deve se imaginar correndo essas etapas no ritmo necessário para atingir o tempo planejado. Isso vai ajudar os corredores a se manter concentrados durante a prova e motivados até o fim. Caso durante a prova um corredor ou corredora não acabe uma das etapas no tempo esperado, ele ou ela pode corrigir o plano na próxima etapa – desenvolve o psicólogo.


Rodrigo na Meia do Rio em 2003 comemorando a
meta alcançada (Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal)O corredor Rodrigo Damasceno, que no dia da Meia terá acabado de completar 28 anos, adota essa estratégia de mentalizar e pensar a prova quilômetro a quilômetro. Principalmente no caso da Meia, uma prova muito especial para o corredor. Foi nela que ele estreou participando pela primeira vez de uma prova de corrida de rua e afirma que sempre que está bem e treinando não abre mão de competir nessa corrida.

Rodrigo correu pela primeira vez a Meia em 2000, incentivado pelo comercial da TV Globo, acompanhado de um amigo de escola. Com 17 anos, Rodrigo nem sabia exatamente qual a distância e quais as dificuldades que viriam no seu caminho. Mas, de 11 anos para cá, tudo mudou. Rodrigo deixou de lado o 'efeito surpresa', contratou uma assessoria esportiva e hoje realiza um trabalho sério com o treinador Manuel Lago. Sua experiência na Meia do Rio – Rodrigo correrá em 2011 pela sétima vez esta prova – é uma vantagem, segundo o corredor.

- Eu gosto de pensar na prova, definir estratégia da prova antes de correr. Eu tenho o mapa da prova na cabeça, sabendo como vai ser cada quilômetro, onde posso forçar, onde posso aumentar e diminuir, gosto de fazer estratégia – explica Rodrigo.

O corredor tem o objetivo de melhorar seu tempo na competição e para ele esse processo mentalizar a prova antes colabora para alcançar suas metas. Na Meia, Rodrigo especifica dois momentos que ele considera cruciais:

- A principal cobrança no físico é na descida da Niemeyer. Em 2000, quando eram poucos competidores, muita gente quebrava logo após a descida da Niemeyer por forçar muito ainda no início. Agora que a prova está mais cheia você vai em velocidade de cruzeiro e tem menos chance de quebrar. Na questão psicológica, o ponto difícil é o Aterro. Você sempre vê alguém chegando antes de você. Eu costumo passar sem prestar atenção na chegada. O bom é que ali ficam as assessorias esportivas, os amigos, que dão apoio.


Rodrigo vibra ao completar sua primeira maratona no
Rio em 2009 (Foto: Divulgação / Arquivo Pessoal)Essa motivação final é o gás que o corredor precisa para completar a prova e, a partir daí, comemorar o objetivo alcançado.

O trabalho do psicólogo William Falcão também aborda a mentalização para questões como controle da ansiedade, controle total dos movimentos e para antecipar situações permitindo que o atleta saiba como agir em cada uma delas. A pesquisa pode ser aplicada a diversos casos na áreas do esporte, mas, para exemplificar, o estudioso preparou um roteiro que pode ajudar o corredor no processo de mentalização e, consequentemente, para que ele alcance seus objetivos.

William, no entanto, reforça que para a mentalização ser efeitva ela precisa ser feita regularmente e de forma correta. Para o corredor que ficou interessado, siga os passos abaixo propostos pelo psicólogo e ótima prova no domingo. E, claro, não deixe de nos contar se a experiência deu certo, clicando aqui.

1. Certifique-se que você está relaxado e concentrado.
2. Crie um roteiro: o que você irá imaginar? Qual o seu objetivo com essa sessão de mentalização?
3. Comece com uma imagem básica: visualize como é o ambiente e como ele o faz sentir.
4. Comece simples:
a. Imagine o lugar onde você treina ou compete: visualize as cores, as texturas, os odores e os barulhos.
b. Tente visualizar tudo em primeira-pessoa.
5. Acrescente detalhes:
a. Crie uma imagem tão realista que você acredita que esta realmente executando o movimento.
b. Faça sua imagem o mais vivida possível: inclua o maior número de sensações possíveis (temperatura, barulho, cheiro) para que a imagem seja tão clara e realista como na vida real.
6. Estado emocional: lembre-se de como você se sente ao executar a ação.
7. Controle:
a. Divida a imagem em pequenos componentes e visualize-os separadamente.
b. Conheça os elementos do fundamento que você esta mentalizando. Analise cada componente do fundamento separadamente.
8. Sucesso:
a. Ao saber o que você deve fazer e visualizando o movimento corretamente o resultado DEVE ser positivo.
9. Re-escreva o roteiro: se você não estiver conseguindo visualizar o evento em detalhes, re-examine os elementos da mentalização e certifique-se que eles refletem as sensações associadas ao fundamento.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/atletismo/corrida-de-rua/noticia/2011/08/meia-do-rio-mentalize-e-monte-sua-estrategia-para-fazer-uma-boa-prova.html
Produção e Organização de Eventos Esportivos - Consulte-nos